Maglore

Salvador (BA)

 

Power trio de canção popular brasileira com referências de pop e rock psicodélico, o Maglore é formado por Teago Oliveira (voz e guitarra), Rodrigo Damati (voz e baixo) e Felipe Dieder (bateria). A trajetória do grupo, apontado pela mídia especializada como um nomes mais fortes do novo cenário nacional, soma seis anos.

 

Residente na capital paulista, a banda apresenta o CD e LP III, considerado um dos melhores álbuns de 2015 por Rolling Stone, Billboard, MTV, UOL Entretenimento, entre outros grandes veículos, e 2º melhor show do ano por Folha de S.Paulo – na capital paulista, o Auditório Ibirapuera serviu de palco para a estreia da obra.

 

Gravado ao vivo em fita de rolo, III conta com produção de Rafael Ramos (Titãs, Pitty, João Donato) no Estúdio Tambor (RJ). "Mantra", single que antecipou o atual trabalho, foi indicado à categoria “nova canção” do Prêmio Multishow 2015 e ganhou boa execução em FMs do eixo SP-RJ.

 

O disco ainda levou o Maglore ao 27º Prêmio da Música Brasileira, que reconheceu o grupo como um dos melhores daquele ano, ao lado dos veteranos Titãs e Funk Como Le Gusta, e rendeu convite para o Lollapalooza Brasil 2016, onde os baianos se apresentaram no palco principal.

 

Marcado por arranjos modernos, melodias de assimilação imediata e o lirismo das composições de Teago, III foi eleito, em 1º lugar, melhor álbum da Bahia em 2015, em ranking que reuniu críticos, jornalistas e formadores de opinião do rádio e da tevê do Estado, com organização do site el Cabong.

 

Em outra votação, desta vez elaborada pelo site Scream & Yell com mais de 100 profissionais do mercado da música, o disco entrou para o top 5 de lançamentos brasileiros.

 

Originado como quarteto em Salvador, em 2010, então com Carlos Nery (bateria) e Lelo Brandão (guitarra e teclado), o Maglore também lançou os CDs independentes Veroz (2011) e Vamos Pra Rua (2013) — neste último, Carlinhos Brown e Wado emprestam suas vozes em participações especiais. Os álbuns destacaram o grupo como aposta do país e representante de peso do circuito baiano.

 

III é resultado da mudança de integrantes e, por consequência, de sonoridade da banda, agora mais direta e simples, mas não menos inventiva e elegante, com influências que vão de Caetano Veloso a Wilco, do misticismo da Bahia à rotina esmagadora da vida em São Paulo.